segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Revista Portal

Revista experimental do alunos do 6º período de Jornalismo da Faculdade Católica de Uberlândia.

Alunos:

Cláudia Biliato
Fernando Lopes
Henrique Mendes
Kamilla Arruda
Luciana Castro
Ronaldo Pedroso


















sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Viola do Cerrado








Documentário de Jornalismo Comunitário, desenvolvido pelo 6º período de Jornalismo da Faculdade Católica de Uberlândia, onde os próprios moradores atuam como repórtes, pauteiros e entrevistados.

Você sabe o que é beat box?


Reportagem produzida e apresentada por Ronaldo Pedroso com imagens de Erivelton Rodrigues e edição de Pablo. Exibido no Programa do Dikão, TV Vitoriosa/SBT.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Recepção da arte pós-moderna é discutida na UFU


Nos dias 15 e 16 de dezembro o Instituto de Letras e Lingüística (Ileel) da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) estará promovendo uma conferência, um mini-curso e um encontro com o professor de Teoria da Cultura Artística Hamlet Fernández Díaz, da Universidade de Havana (Cuba).

No dia 15, quarta-feira, das 14 ás 17 horas, será ministrado o curso “La recepción de l’arte postmoderna en el contexto universitário”, na sala 209 do bloco U, no Campus Santa Mônica. Às 20 horas, na Casa de Cultura, no bairro Fundinho, será realizado o “Encuentro con profesores, artistas y intelectuales”. No dia 16, acontecerá a conferência, dirigida a mestrandos de Teoria Literária, “Fundamentos para una teoría de la recepción de las prácticas artísticas postmodernas”, também no bloco U, no Campus Santa Mônica. As inscrições poderão ser feitas nos locais dos eventos.

A atividade faz parte do projeto de extensão “Aprendendo a ler textos literários em espanhol” em parceria como mestrado de Teoria Literária da UFU, coordenado pelas professoras Maria Ivonete Santos Silva e Antonia Javiera Cabrera Muñoz (ambas do Ileel) e apoiado pela Diretoria de Cultura (Dicult/UFU), da Pró-reitoria de Extensão, Cultura e Assuntos Estudantis (Proex) e da Prefeitura Municipal de Uberlândia.

“O projeto não é só da comunidade do Ileel, da UFU. É um projeto da comunidade externa também, dos intelectuais uberlandenses, das pessoas interessadas em Literatura Espanhola”, destaca Silva. “Hamlet Diaz vai tratar de um tema que é o ‘calcanhar de Aquiles” de toda teoria crítica literária, que é a questão da recepção. Como se recebe, hoje, a arte contemporânea? É uma das coisas mais difíceis, porque, na medida em que a Arte Contemporânea é uma arte extremamente remissiva a vários outros períodos da história, quando a pessoa não tem uma boa bagagem cultural, ou uma boa bagagem artística, geralmente ela se perde, ela aproveita muito pouco”, explica a professora.

Hamlet Díaz é licenciado em História da Arte pela Unviversidade de Havana e doutorando em Artes, nessa mesma universidade, com o tema “Recepção da arte pós-moderna no público universitário”. Nos últimos anos ganhou relevância na crítica de artes (Artes Plásticas e Cinema, principalmente) no âmbito cultural de Cuba. Em 2010, recebeu os prêmios de ensaio e resenha no “Concurso Guy Pérez Cisneros”, a mais alta premiação da crítica artística em Cuba, outorgado pelo Centro Nacional das Artes Plásticas do país. Artigos e ensaios de sua autoria têm sido publicados em importantes jornais científicos e culturais de Cuba e do Brasil.

Fonte: Dirco/UFU

Autores com idade igual ou superior a 50 anos vão lançar coletânea de contos, crônicas e poemas


Na próxima segunda-feira (20), às 20h, será lançado na Casa da Cultura o livro Contos, Crônicas e Poemas produzido por 20 autores com idade igual ou superior a 50 anos. A publicação faz parte de um projeto desenvolvido pela Secretaria Municipal de Cultura (SMC) para estimular a criação de obras literárias.

A coletânea tem 102 páginas recheadas com 36 textos. A aposentada Marlene Viana, 74 anos, teve duas poesias selecionadas para compor a obra. Para a autora, o lançamento será o reconhecimento do trabalho feito com muita dedicação. “Este livro é muito importante para mim. Escrevi poesias que agora estarão à disposição do público. Escrevo há mais de 10 anos e esta oportunidade vai estimular a publicação de outros livros que estou escrevendo. Isso é a valorização desse trabalho” contou a escritora.

Os poemas de Carlos Drummond de Andrade e Pablo Neruda e as histórias de Guimarães Rosa e Machado de Assis sempre inspiraram a aposentada e ex-professora de 65 anos, Maria de Lourdes Barbosa de Oliveira. Ela emplacou um conto e um poema na coletânea, que considera uma excelente oportunidade tanto para os novos quanto para os mais experientes escritores. “Projetos como esse são muito bons para aqueles que buscam publicar um trabalho. É uma chance para todos já que o setor cultural de Uberlândia vive um momento muito bom. E o resultado é muito gratificante”, disse.

Esta é a 3ª edição do projeto. As obras foram selecionadas por uma comissão julgadora, formada por três especialistas da área de literatura. A tiragem é de mil exemplares que serão distribuídos entre os autores e as bibliotecas da cidade. Os interessados em adquirir algum exemplar podem entrar em contato com a SMC pelo telefone 3214-3266.

“A publicação dessa coletânea de textos reafirma o valor da literatura enquanto linguagem artística e reconhece talentos. Com isso incentivamos a produção escrita e colaboramos com a relação escritor-leitor e vice-versa”, afirmou Mônica Debs, secretária municipal de Cultura.

Confira o nome dos autores:

· Alaíde Corrêa de Lima Sousa
· Benedito Gomes Machado
· Doraci Corrêa de Sousa Campos
· Dulce Ana Pimenta
· Elza Teixeira de Freitas
· George Thomaz Paiva Ribeiro
· Heloísa Helena de Freitas Galvão
· Lúcia Helena da Silva
· Luiz Duarte de Ulhôa Rocha
· Maria das Graças dos Santos Carvalho
· Maria de Lourdes Barbosa Oliveira
· Maria de Lourdes Vidal Sandim
· Maria Helena Paiva Santos Machado
· Maria Santa de Oliveira Lara
· Marlene Vianna
· Ondina das Dores Teixeira
· Salvador Gomes de Mendonça
· Silda Batista Borges
· Teresinha Machado Guimarães Caixeta
· Vicentina Maria da Silve

Fonte: Secom/PMU/Fillipe Alves
Imagem: cranik.com

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Uberlândia vive 1º Festival de Circo do Triângulo


Começou nesta quinta-feira (9), em Uberlândia, o 1º Festival de Circo do Triângulo. Durante os quatro dias de evento o público poderá acompanhar espetáculos circenses, arte de rua além de programações voltadas para o público infantil.

Essa é a primeira edição do Festival, que visa promover o acesso ao circo, uma arte milenar que vem se modernizando e evoluindo com os séculos. O evento vem mostrar um modelo de circo diferente do tradicional "circo itinerante", trazendo um circo contemporâneo que tem quebrado paradigmas e apresentado novas perspectivas.

Para o organizador do Festival e Coordenador dos projetos Circo da Vida e Escola Popular de Circo, em Uberlândia, Daniel Vieira Brant, o momento é de introduzir um novo conceito de Circo Social e trazer um entretenimento inteligente, diversidade cultural e social. “Hoje, o circo assume um papel maior e mais presente na sociedade, por meio do circo social, utilizando a arte circense como agente transformador da sociedade e formador de consciência sociocultural”, afirma.

Na oportunidade, será instalado uma lona de circo fixa, no Bairro Roosevelt, que será o novo espaço para os trabalhos dos projetos Circo da Vida e Escola Popular de Circo – projetos voltados para o ensino de arte circense para a comunidade.

Os espetáculos abordarão temas e questões pertinentes a realidade social local além de gerar no público a consciência do poder transformador que cada indivíduo tem na sociedade. O projeto tem o apoio da Quinta Igreja Presbiteriana de Uberlândia, da Prefeitura Municipal de Uberlândia, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e do Ministério da Cultura.

Programação

Quinta – 9 de Dezembro
15h – Abertura do Festival de Circo – Palco Aberto
Apresentação pública de pequenos números.

17h – Guerra de Palhaços
Uma divertida brincadeira entre palhaços transmitindo a alegria e espontaneidade de um dos personagens mais importantes do mundo circense.
Local: Praça Tubal Vilela

Sexta – 10 de Dezembro
19h – Apresentação de encerramento do ano das crianças atendidas pelos projetos dos Circos Sociais
Local: Lona – Circo da Vida - Av. Atlântica 969 – Bairro Presidente Roosevelt.

Sábado – 11 de Dezembro
14h às 17h– Dia da Criança no Circo
Brinquedos para crianças, apresentações de palhaços, malabaristas, equilibristas, maquiagem artística e exposição de trabalhos. Atividades recreativas e pedagógicas.
Local: Lona – Circo da Vida - Av. Atlântica 969 – Bairro Presidente Roosevelt.

Domingo - 12 de dezembro
20h – Espetáculo CANDURA
A Trupe Circo da Vida trata temáticas polêmicas como exclusão social, estereótipos da sociedade, desvalorização do ser humano, sugerindo soluções por meio da arte circense.
Local: Lona – Circo da Vida - Av. Atlântica 969 – Bairro Presidente Roosevelt.

Fonte: iMidia Comunicação

Galeria de Arte Ido Finotti recebe exposição de Glayson Arcanjo


Quem passar pela Galeria de Arte Ido Finotti a partir desta sexta-feira (10), poderá conferir a exposição de fotografias de Glayson Arcanjo, intitulada “Litorâneas”. A mostra poderá ser visitada até o dia 31 de janeiro, de segunda a sexta-feira, das 12h às 18h e a entrada é gratuita. A abertura será nesta quinta-feira (09), às 20h.

As imagens foram feitas entre 2007 e 2009, quando o artista fotografou cidades litorâneas do Espírito Santo. Ao observar elementos encontrados nas orlas das praias, Glayson selecionou palavras que ganharam forma ao serem moldadas na própria areia. “Eu as fotografava e, em seguida, as deixava ali para serem modificadas por ações naturais, temporais ou por pessoas que passavam pelo local”, disse.

De acordo com Glayson Arcanjo, capturar desenhos pela fotografia é um recurso freqüentemente usado em seus trabalhos. “Estas imagens evidenciam o jogo de uma obra com o espaço que a circunda e com o tempo em que é feita. Deste modo, tanto o artista como o próprio espectador passam a depender de elementos como as ondas do mar, a força dos ventos, o disparo da câmera fotográfica ou a intervenção de outras pessoas”, contou.

Exposição “Litorâneas”, do artista Glayson Arcanjo

Na Galeria de Arte Galeria de Arte Ido Finotti, que fica na avenida Anselmo Alves dos Santos, n°600, anexa ao Centro Administrativo Municipal

Abertura: 9 de dezembro, às 20h
De 10 de dezembro a 31 de janeiro, das 12 às 18h

Fonte: Secom/PMU
Imagem: http://glaysonarcanjo.blogspot.com/

Sabiazinho sediará Copa Brasil Central de Jiu-Jitsu


No próximo domingo (12), a Arena Multiuso Tancredo Neves (Sabiazinho) vai sediar a Copa Brasil de Jiu-Jitsu. A competição terá início às 9h e vai receber mais de 300 atletas de quase 30 cidades dos estados de Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Paraná e Distrito Federal.

Vão participar atletas de ambos os sexos nas categorias: pré-mirim, mirim, infantil, júnior, master e sênior. No decorrer das competições, a cada fechamento de chave haverá premiação com medalhas do primeiro ao quarto lugar. No final serão entregues prêmios em dinheiro para as categorias absolutas roxa, marron e preta, além da premiação em kimonos para as categorias absolutas azul e branca.

Para ver de perto as disputas é preciso levar um litro de leite longa vida. Os alimentos arrecadados serão doados a uma instituição filantrópica de Uberlândia.

Fonte: Secom/PMU/Fernanda Resende
Imagem: 7anocolegioafamsm.blogspot.com

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Projetos culturais movimentam Cruzeiro dos Peixotos



Um grande evento marcará o distrito de Cruzeiro dos Peixotos neste sábado 11 de dezembro. Diversos projetos distintos serão apresentados à comunidade em um mesmo momento. Uma apresentação de flauta, uma feira de artesanato, uma apresentação de teatro, apresentação de um vídeo sobre a Folia de Reis e um documentário sobre o distrito feito pelos próprios moradores.

Os projetos são da Universidade Federal de Uberlândia(UFU), da Associação dos Moradores de Cruzeiro dos Peixotos e da Faculdade Católica de Uberlândia.



Documentário: Viola do Cerrado



O projeto Viola do Cerrado é um vídeo documentário de Jornalismo Comunitário, onde os próprios moradores participaram. Aborda temas da comunidade, como cultura, religiosidade e história.

A produção é da Faculdade Católica de Uberlândia e a realização é da comunidade de Cruzeiro dos Peixotos.

Teatro: A história do soldado

Livre adaptação da obra de Charles Ferdinand Ramuz e Igor Stravinsk, a
A História do Soldado narra a história de um soldado que faz um pacto com o Diabo. Ao regressar da guerra, o soldado encontra o Diabo que o convence a trocar a sua flauta (sua alma) por um misterioso livro que lhe permite prever o futuro e assim ganhar muito dinheiro.

O Diabo leva o soldado para casa com o pretexto de lhe ensinar o uso do
livro, enquanto este o ensinaria a tocar a flauta, prometendo então que o levaria para casa no espaço de 3 dias. Mas, passam-se 3 anos e ao regressar, o soldado encontra a sua noiva já casada e com dois filhos.

Ninguém mais o reconhece apesar de sua riqueza e ele parte para o enfrentamento com o Diabo, na busca de sua vida anterior. Consegue recuperar sua flauta e acaba por salvar a vida de uma princesa. No entanto, será a princesa quem selará o destino do soldado quando este cede à curiosidade que ela tem em ver a sua terra natal, apesar de lhe ser proibido pelo Diabo, que estabelece as fronteiras da terra da princesa como seu limite. Sair de lá lhe valeria a condenação eterna. É o que acontece!

O final é a vitória triunfante do Diabo sobre o pobre soldado.

Elenco:

Diabo: Giovana Cláudia e Lucas Campos
Soldado: Carol Santos
Narrador: Lorrayne Guerra
Coro: Marcos Queiroz, Reginaldo Júnior, Douglas Rodrigues, Carol Moura, Mariana, Pâmela.

Programação

15 horas

Exposição de fotos referente ao projeto “O Poeta e o Historiador. A Folia de Reis no
Cruzeiro dos Peixotos. Teatro, memória e criação coletiva.”
Feira de artesanato local.
Feira do clube de Mães de Cruzeiro dos Peixotos.

16 horas

Local: Capela de Santo Antônio
Celebração em louvor a Santos Reis – Homenagem a festeiros e foliões do Distrito.

17 horas

Saída do Terno de Reis da Igreja rumo à quadra de esportes de Cruzeiro dos Peixotos.

18 horas

Chegada e recepção dos foliões na Praça Poliesportiva.

A partir das 18h30 min

Local: Praça Poliesportiva de Cruzeiro dos Peixotos
Apresentação cultural – Crianças do Projeto de flautistas da comunidade.

19h30

Abertura das Atividades noturnas.
Local: Salão Comunitário de Cruzeiro dos Peixotos
Apresentação do Projeto “O poeta e o Historiador”.

20 horas

Local: Salão Comunitário de Cruzeiro dos Peixotos
Exibição do vídeo documentário “O Mistério de Santos Reis” de Fábio Rodrigues.

20h40

Local: Salão Comunitário de Cruzeiro dos Peixotos
Apresentação do Grupo Comunitário de Teatro de Cruzeiro dos Peixotos.

21h15

Apresentação do Projeto da Faculdade Católica de Uberlândia
Exibição do vídeo documentário Viola do Cerrado, sobre Cruzeiro dos Peixotos.

Cineclube Cultura do mês de dezembro homenageia uma de suas freqüentadoras mais assíduas

Em dezembro, o Cineclube Cultura trará uma seleção especial de filmes escolhidos por uma das mais assíduas freqüentadoras do projeto que exibe longas em torno de um eixo temático na Oficina Cultural. Conhecida por sua sabedoria e sorriso fácil, Geralda Guimarães, 73 anos, sempre prestigiou as exibições do Cineclube e, por esta razão, recebe como homenagem da Secretaria Municipal de Cultura, uma mostra com suas películas prediletas.

“Além de ter dedicado sua vida ao ensino da história da arte na Universidade Federal de Uberlândia, ser muito culta, querida e admirada por todas as pessoas que a conhecem, dona Geralda não deixa de acompanhar todas as edições do projeto. E apesar da idade, ela vive em busca de informações e está sempre atualizada”, explica Ludmila Lobo, diretora de Cultura.

Confira a programação

Cineclube Cultura – “Geralda Guimarães – Cinema das Minhas Memórias”

Sábado (11)


Melodia imortal (The Eddy Duchin Story, EUA, 1956)

Cor, 123 min. Com Tyrone Power, Kim Novak, Victoria Shaw e direção de George Sidney

Cinebiografia de Eddy Duchin, o mais famoso pianista – maestro americano , nas décadas de 30 e 40, cuja trajetória foi marcada não só por sucesso profissional, mas também por tragédias pessoais. O som do piano que se ouve no filme é de Carmen Cavallaro, que apesar do nome é homem e toca no estilo de Duchin. O ator Tyrone Power que interpreta o pianista faz apenas o gestual.

Domingo (12)


Os dois ladrões (Brasil, 1960)

P/b, 83 min. Com Oscarito, Cyll Farney, Eva Todor, Odete Lara, Jayme Costa, Ema D’Ávila e direção de Carlos Manga

Mão Leve e seu parceiro Jonjoca formam uma dupla de ladrões que costumam enganar senhoras ricas, trocando suas jóias por réplicas quase perfeitas. Sustentando uma instituição de caridade e interessados em ajudar Roberto, irmão de um deles, a estudar no exterior, planejam um grande golpe. Parodiando uma performance dos irmãos Marx em Diabo a quatro (Duck soup, 1933), Carlos Manga dirigiu neste filme uma das cenas memoráveis da história da chanchada: na tentativa de aplicar um golpe em madame Gaby (Eva Todor), Jonjoca (Oscarito) se transformava num clone perfeito dela, a tal ponto que, quando os dois se cruzavam por acaso no corredor de um hotel, a madame se comportava como se estivesse diante de si mesma refletida num espelho.

Sábado (18)


Tarde demais para esquecer (An Affair to Remember, EUA, 1957)

Cor, 114 min. Com Cary Grant, Deborah Kerr, Richard Denning e direção de Leo McCarey

Ex-cantora e rico playboy se apaixonam durante um cruzeiro a bordo de um transatlântico. Combinam um encontro, seis meses mais tarde, no topo do Empire State Building, em Nova Iorque, mas um acidente acaba atrapalhando a felicidade dos dois. Refilmagem de Duas Vidas (Love Affair), realizado pelo mesmo diretor em 1939.

Domingo (19)


Tudo que o céu permite (All That Heaven Allows, EUA, 1955)

Cor, 89 min. Com Jane Wyman, Rock Hudson, Agnes Moorehead e direção de Douglas Sirk

Cary Scott (Jane Wyman) é uma respeitável viúva da alta classe média, que sente-se frustrada mas reencontra o amor ao se apaixonar por Ron Kirby (Rock Hudson), seu jardineiro. Apesar de ser 15 anos mais velha e ter um casal de filhos já crescidos, ela decide assumir esta paixão. Entretanto Cary encontra preconceito em vários de seus amigos íntimos e até mesmo nos filhos, que não aceitam que a mãe tenha tal relação.

A estética dos melodramas do diretor Douglas Sirk, que marcou o cinema americano dos anos 50, usa com maestria, de forma quase artesanal, as cores fortes, os filtros de luz e os figurinos exuberantes. Sirk consegue envolver o espectador graças a um talento para contar histórias que raros diretores de melodrama possuem nos dias de hoje.

Onde: Oficina Cultural de Uberlândia - Sala Roberto Rezende
Local: Praça Clarimundo Carneiro, 204, bairro Fundinho
Horário: 20h
Entrada franca

Fonte: Secom/PMU

domingo, 5 de dezembro de 2010

A especialização no jornalismo on-line


Com a internet se popularizando, parece que qualquer um pode ser jornalista e publicar notícias em blogs gratuitos, opiniões em sites de relacionamentos e expandir a comunicação em redes sociais. Só parece. Qualquer curioso com acesso à web pode postar o que quiser, mas não significa que isso será jornalismo on-line.

Segundo pesquisa divulgada nesta sexta-feira (3) pelo instituto Ibope Nielsen Online, Brasil já tem 41,7 milhões de usuários ativos de internet. Isso representa um crescimento de 13,2% em outubro, se comparado ao mesmo período de 2009. Justamente por isso, a competição no mercado está cada vez mais acirrada.

Essa competitividade implica na contratação de bons profissionais por parte dos veículos de comunicação, se não quiserem se igualar à enxurrada de lixo eletrônico solta pela rede. O mercado tem demanda desses profissionais, que aliam técnica jornalística, ética, conhecimento nas ferramentas da internet e sede de conhecimento.

Neste nicho de mercado, é necessário estudar e aprender cada vez mais, já que as tecnologias não param de evoluir. E a velocidade com que isso ocorre é muito maior do que há 20 anos. Portanto, também é necessário que se acelere o processo de especialização na área, como em qualquer outra, mas especialmente nesta.

O jornalista português Jorge Pedro Sousa, da Universidade Fernando Pessoa, na cidade do Porto, mostra alguns fundamentos do jornalismo on-line: “a interatividade, o hipertexto, a hipermídia, glocalidade (produzido no local, mas com alcance mundial, personalização e a instantaneidade”.

A hipermídia a que ele se refere é a “convergência de mídia”, ou seja, texto, vídeo a áudio, convergidos para a internet. Até agora, somente a web é capaz de dar suporte a todas essas mídias diferentes dentro do mesmo espaço. A TV digital promete fazer algo similar no futuro, mas a mudança será mais lenta, já que demanda altos investimentos, enquanto o acesso à rede se democratiza cada vez mais.

O jornalista especializado na net, com todas as suas inovações e mudanças que elas implicam, é um eterno estudante. Isso não é referência a uma cadeira fixa de escola, mas à pesquisa, extensão, especialização, visitas e troca de experiência com outros veículos e profissionais da área, cursos e mini-cursos, palestras, workshops, entre outros.

A procura por novos formatos e novas tecnologias não significa o detrimento da base do jornalismo: a busca incessante pela verdade, a ética, a imparcialidade (ou pelos menos a tentativa de ser imparcial), ouvindo todos os lados envolvidos na notícia, apurando, confirmando, verificando, revisando.

Isso não é preocupação da maioria dos internautas “pseudo-jornalistas”. Alguns têm méritos, outros não. O jornalismo on-line verdadeiro se preocupa com as duas vertentes: a tecnológica e a ético-teórica. Os profissionais com uma base sólida e o desejo de crescer tecnicamente terão seu lugar garantido no mercado digital, que já procura por jornalistas especializados para uma época que talvez esteja vivendo a maior mudança na comunicação desde a invenção da prensa.

Imagem: bloghipertexto.blogspot.com

Madeira ao Vento será atração do Projeto Harmonia na Igreja do Rosário


No próximo domingo (12), a partir das 17h30, a Igreja do Rosário receberá mais uma edição do Projeto Harmonia, com a apresentação do grupo Madeira ao Vento. Criado pela Secretaria Municipal de Cultura (SMC), o projeto promove a música erudita e valoriza o trabalho de artistas da cidade.

O conjunto, formado por 20 integrantes, é coordenado por Alice Pereira Pacheco e Maria Tereza Borges Rezende. Além de realizar espetáculos e recitais didáticos, já gravou quatro DVDs, dois CDs e fez apresentações em congressos acadêmicos, escolas, creches, hospitais e igrejas. Também recebeu prêmios em concursos de música de câmara em Uberlândia, Juiz de Fora e Ituiutaba.

Durante a apresentação, o público irá conferir composições de Calimério Soares, César Franck, George Frideric Haendel, Johann Sebastian Bach, Arcângelo Corelli e Franz Joseph Haydn.

Repertório

Johann Sebastian Bach – Concerto de Brandemburgo - Allegro
Anônimo do século XVIII – Greensleeves
Franz Joseph Haydn – Trio Londrino n°3 – Spirituoso, Andante, Allegro
Calimério Soares – Flautas Sincopantes
César Franck – Panis Angelicus
Johann Sebastian Bach – Jesus Alegria dos Homens
Arcângelo Corelli – Concerto VIII – Fato per La Notte di Nata - Largo
George Frideric Haendel – Aleluia

Integrantes

Ana Carolina de Oliveira, Ana Júlia Araújo de Carvalho, Ana Paula Oliveira Viadana, Anderson Leite Ladário, Bianca Nise da Silva Bento, Denílson da Silva Peixoto, Esther Ferreira de Souza, Geórgia Mesquita Cardoso, Josiane Macedo Ferreira, Laura Gomes Vargas, Segatini, Nágela Soares, Nayara Bernardes da Cunha, Rafael Augusto da Silva, Rafaela Vilela Oliveira, Renato Augusto de Assis Silva, Romes Jorge da Silva Júnior, Rovena Pial Ferreira Freitas, Silvia Maria da Silva Pires e Thamires Delfino Alves.

Professores

Adriano Ribeiro, Alice Pereira Pacheco, Ângelo Nascimento, Betiza Fernandes Landim, Hosana Rodrigues Ferreira da Mata, Leonor Júnior e Maria Tereza Borges Rezende.

PROJETO HARMONIA

Madeira ao Vento
Domingo (12), às 17h30, na Igreja do Rosário, que fica na praça Rui Barbosa, Centro
Entrada franca

Fonte: Secom/PMU
Imagem: farolcomunitario.com.br

Arquivo Público Municipal expõe trabalho fotográfico de alunos do Ensino Médio


Imagens do passado e do presente dos principais pontos históricos, turísticos e culturais da cidade estão na exposição “Memória e Transformações Urbanas em Uberlândia”. As fotos podem ser conferidas até o dia 17 de dezembro, das 12h às 17h, no Centro Administrativo Municipal, localizado na avenida Anselmo Alves dos Santos, 600, bairro Santa Mônica.

Composta por 14 painéis com cerca de 40 fotos, a mostra é resultado de um trabalho realizado por estudantes do 2º ano do Ensino Médio do Colégio COC. Baseando-se em imagens do Arquivo Público Municipal, eles produziram registros semelhantes com o intuito de fazer uma releitura de praças, prédios públicos, avenidas e outros locais que caracterizam o espaço urbano da cidade.

“Os estudantes ficaram muito entusiasmados com o trabalho, desde a pesquisa para identificar de onde eram aquelas imagens, até a produção fotográfica. Foi uma atividade que ajudou a despertar a sensibilidade para as transformações urbanas e geográficas que a cidade passou nas últimas décadas”, afirmou o professor de Geografia, Rogério Gonçalves.

Para quem deseja consultar materiais sobre a história de Uberlândia, o Arquivo Público Municipal está aberto a todos. Por mês, cerca de 300 pessoas passam pelo local, a maioria é composta grupos de estudantes.

“No Arquivo os visitantes encontram coleções, documentos iconográficos, cartográficos, manuscritos, jornais, fotografias e revistas provenientes de instituições ou pessoas da comunidade. É uma fonte rica de pesquisa e os estudantes contam com o suporte para fazer os seus trabalhos. Eles também recebem orientação dos nossos profissionais e materiais extras para conhecer mais a história da cidade”, explicou a administradora do Arquivo Público, Carla Oliveira Rezende de Abreu.

Arquivo Público Municipal

Endereço: Rua Natal, 935, Bairro Brasil
Funcionamento: De segunda à sexta-feira, das 8h às 17h
Telefones: 3232-9022 / 3232-4744

Fonte: Secom/PMU
Imagem: Daniel Nunes

Galeria de arte do Mercado Municipal recebe exposição de Assis Guimarães


Na sexta-feira (10), foi aberta, na Galeria de Arte do Espaço Cultural do Mercado Municipal de Uberlândia, a exposição “Gesto, Cor, Luz e Escuridão” do artista plástico Assis Guimarães. “Esta coleção de pinturas, desenhos e esculturas é pautada na possibilidade da adequação do homem frente às forças da natureza, no sentido de alcançar uma harmonização por meio de seu trabalho com algo do que há de anterior ao seu querer, sendo a intuição a base desta tentativa de interação plástica entre o homem e o cósmico. É uma rendição e uma homenagem ao que há de universal e de eterno na constituição da humanidade”, contou o artista.

A exposição estará aberta à visitação de 13 de dezembro a 13 de janeiro, de segunda a sexta-feira, das 12h às 18h. De acordo com a coordenadora do Espaço Cultural do Mercado Municipal, Sandra Carolino de Paiva, quem passar pelo local vai ficar impressionado com o trabalho do artista. “O Assis é um dos artistas plásticos mais completos que existem. É um exímio aquarelista, além de um excelente pintor e escultor”, afirmou.

Sobre o artista

Assis Guimarães atua no cenário das artes desde a década de 80. Bacharel em Artes pela Universidade Federal de Uberlândia, cursou por três anos a Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais, em Belo Horizonte, onde foi aluno de Amílcar de Castro, um dos escultores responsáveis pela inclusão das artes plásticas brasileiras no cenário artístico internacional.

Serviço:

Exposição - “Gesto, Cor, Luz e Escuridão” - Desenhos, pinturas e esculturas
Artista - Assis Guimarães
Abertura - 10/12/2010 - 20h às 22h
Visitação - 13/12/2010 a 13/01/2011
Segunda a sexta-feira - 12h às 18h
Local: Galeria de Arte do Mercado Municipal (Rua Olegário Maciel, 255, Centro)

Fonte: Secom/PMU/Rafael Guimarães
Imagem: Wikipedia

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

A Ciência invade o Parque


A ciência vai invadir o Parque do Sabiá, no próximo domingo, 05/12. A atividade será desenvolvida por estudantes do oitavo período, da disciplina Estágio 2, do curso de Biologia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e terá o apoio do Laboratório de Ensino de Ciências e Biologia (LEN), do Instituto de Biologia e da Prefeitura de Uberlândia, por meio da Futel e Secretaria do Meio Ambiente.

O evento é aberto à comunidade e será realizado das 8h30 às 16 horas, no Mundo da Criança, no Parque do Sabiá. Por meio de brincadeiras, demonstrações, jogos e bate-papos, os estudantes apresentarão conhecimentos sobre a agroecologia, animais e plantas do cerrado, alimentos e prejuízos do lixo.

Atividades que serão desenvolvidas:

Construindo nosso Zoológico:

Os visitantes farão uma visita monitorada e, ao final, irão contribuir com o zoológico, montando algumas placas com informações adicionais sobre os animais.

Heróis de Cerrado:

Por meio de atividades lúdicas, como a corrida no saco e a brincadeira do ovo na colher, as crianças aprenderão sobre diversidade e preservação, sobretudo do bioma em que vivemos: o Cerrado.

Caminhando e Biobservando:

Caminhada interativa que despertará a atenção dos visitantes para questões importantes que visem à preservação do parque. Serão distribuídas, ao longo da margem da pista de caminhada, placas de madeira com perguntas, frases e/ou reflexões com objetivo de orientar e despertar a atenção do público para questões ambientais e trabalhar com a valorização da natureza do Parque. Além disso, será abordada a problemática do lixo, de uma forma dinâmica.

Agroecologia se faz todo dia:

O grupo irá falar sobre agroecologia, uma maneira sustentável e agradável, mantendo uma plantação sem agrotóxico e de maneira econômica.

Teatro: O Planeta e o Homem: o que você tem a ver com isso?

Mais informações pelo telefone (34) 3218-2801.

Serviço:

Evento: “A Ciência invade o Parque”
Data: 05/12
Horário: 8h30 às 16 horas
Local: Parque do Sabiá

Fonte: Ascom/UFU/Eliane Moreira
Imagem: saudeuberlandia.blogspot.com

Auto de Natal promove cultura itinerante e leva espetáculos artísticos a diversos locais de Uberlândia


Neste mês, diversos locais de Uberlândia receberão espetáculos para comemorar a chegada do Menino Jesus. Dos dias 3 a 26 de dezembro, acontece a 5ª edição do Auto de Natal, projeto desenvolvido pela Secretaria Municipal de Cultura para celebrar a data, valorizar e incentivar as mais variadas manifestações culturais.

Ao todo, oito apresentações de grupos profissionais e amadores de dança, circo, música e teatro serão realizadas em igrejas, praças, asilos, escolas, faculdades, parques, terminais de ônibus e espaços públicos. “Inicialmente, a ideia era realizar apenas dois dias de programação. Mas como nosso intuito é fazer com que os artistas utilizem instalações diferenciadas para mostrar seu trabalho, decidimos estender e levar os espetáculos a diversos cantos de Uberlândia”, disse Luiz Alberto Sousa, técnico em assuntos culturais e coordenador do projeto.

Conheça os espetáculos:

NATAL BRASILEIRO, com o Coral da Católica

Se o Natal tivesse acontecido no Brasil, nos dias de hoje, onde seria? Em que região teria nascido o menino Jesus? Para responder estas e outras perguntas, o Coral da Católica apresenta a cantata “Natal Brasileiro”, que conta a história do Natal utilizando personagens tipicamente brasileiros, como o gaúcho, o nordestino e o índio. Os ritmos nacionais ganham novos significados e fazem o público perceber que esta é uma festa que não ficou no passado, mas que tem sentido para todas as pessoas, em qualquer lugar e em qualquer época.

Integrantes: Hosana Rodrigues Ferreira da Mata (regente), Daniela Carrijo Franco Cunha (piano), Rosana Vieira Bastos Rezende (atriz), Cleuza Cândida de Araújo(atriz) e os coralistas Maria Rodrigues de A Campos, Valdivina de Oliveira Moraes, Maria de Fátima Pedrosa, Carmen Lúcia Silva, Josefina Veloso Bonifácio, Maria das Graças Oliveira Mendonça, Lázara Maria dos Anjos, Solange Rezende, Leila Aparecida de Souza Cruz, Maria Alves de Moraes, Vanda Maria de Arruda, Wilma Mendes Pedrosa Gomes, Maria Zélia Calegari Santos, Geralda Maria da silva, Marlene Rodrigues de Oliveira, Suely Ochiucci Storti ,Saulo de Moraes, Dinar Donizetti Nunes Martins, Edmar Nunes Martins, Antônio Carlos Borges, Helder Teodoro Melo Silva, Juarez Antônio de Oliveira, Orizon Alves de Oliveira, Thiago Henrique de Oliveira.

UM NATAL PARA PEDRINHO, um teatro de bonecos com Vovó Caximbó e Grupo Faz de Conta

Apesar das diferenças sociais, Pedrinho e Maria são duas crianças unidas pela amizade. Querem mostrar ao mundo que é possível mudar o que está errado. E acreditar é o começo para esta mudança, já que o espírito do Natal deve estar presente todo dia, a todo momento. É preciso dizer não ao egoísmo, à miséria, à injustiça e à solidão.

Integrantes: Angie Medonça (direção), Maria Inês Mendonça (manipulação de bonecos), Rafael Mazer (manipulação de bonecos)e Rafael Naufel (manipulação de bonecos).

ANJOS D'ÁGUA, com Via Lakka

Esta é uma performance de dança em torno à fonte de água da Praça Tubal Vilela.

Integrantes: Vanilton Alves de Freitas (direção artística), Rogério Vidal de Souza (produção técnico-artística), Erickson Damasceno de Oliveira (bailarino), Gustavo Henrique de Oliveira Limírio(bailarino), Cleber Jerônimo(bailarino), Cláudio Victor(bailarino), Wanderson Santos (bailarino) e Jeferson Lúcio dos Santos(bailarino).

CONCERTOS DE NATAL, com Arciole Cenografia

Este musical conta com um repertório de canções natalinas, sacras e de domínio público. São apresentações elaboradas sobre os temas: “a Anunciação”, “os Reis Magos”, “a Estrela”, “o Caminho” e “O Menino e a Manjedoura”.

Integrantes: Flávio Arciole (direção geral e canto), Sandra Zumpano (canto), Poliana Alves (canto), Maria Célia Vieira (piano), Rossane Rossi (piano) e Marcos Petronio (violino).

AUTO DA MÃE DA RUA, com Trupe Tamboril

Neste espetáculo, uma moradora de rua de uma grande cidade vai dar a luz a um menino. Diversos personagens urbanos acostumados a viver à margem da sociedade, vão acompanhar o evento que se reveste de outros significados. Será este menino o Salvador do novo mundo?

Integrantes: Maíra Rosa Peixoto (concepção/ direção/ atriz), Alba Jacobina (atriz), Uilson Junior Francisco Fernandes (músico/ ator), Guilherme Calegari (músico/ ator), Marcial Azevedo (coreógrafo/ ator), Ana Carneiro (suporte teórico-prático), André Cavalcanti (produção/ montagem) e Bárbara Marques Figueiredo (croquis)

AUTO DE VARAL, com Grupo Teatro No Mi

Inspirada no poema de cordel “O Nascimento de Jesus” de Euriliano Sales, o “Auto de Varal” conta a história do nascimento do menino Jesus. Entre as tradições populares nordestinas, a Literatura de Cordel ocupa posição de destaque pelo seu poder didático e educativo na cultura brasileira.

Integrantes: Saunders Rodrigues (ator repentista), Luana Lourenço (atriz repentista), André Felipe (ator repentista), Lucas Mendes (ator repentista) e Letícia Mariano (atriz repentista).

NATAL NA CIDADE PERDIDA, com Coletivo Opus 6

O espetáculo a história de uma cidade moralmente perdida, que se renova com a chegada de um menino chamado Jesus. Os moradores deste local viviam trabalhando e acumulando riquezas desesperadamente esquecidas de sua humanidade. Ali dominava a cobiça, governada pelo Rei Mal do Século, um tirano que escravizava mentes e corpos. Então o Messias chega e as transformações começam...

Integrantes: Johnny Charles Alves (bailarino/artista circense), Aline Couto (bailarina/artista circense), Iago Alves (bailarino/artista circense), Tharcísio Luzitano (bailarino/artista circense), Jefferson Barbosa (bailarino/artista circense) e Fernando Freitas (bailarino/artista circense).


A CAIXA DE MÚSICA, com Diversão Light Ltda

Neste espetáculo, um idoso conta a um adolescente como era o Natal em seu tempo. Ao longo da história, a narrativa funciona como a “corda” que se dá às caixinhas de música e vai acionar a ação de personagens do ciclo do Natal, como José e Maria que cantam e representam. Os momentos de nostalgia do personagem mais velho tornam-se reais e envolvem os sonhos do adolescente e do público.

Integrantes: Stefânia Fraga (produção), André Ruas (direção/ ator), Ana Marta Yalla Bina (atriz), Júnior Garcia (ator), Ana Clara Santos (atriz), Waquilla Correia (atriz),
Marcos Vinícius e DJ Bomba (sonorização).

Confira programação:

Sexta-feira (3)

20h20 – Espetáculo: Natal Brasileiro
Na Faculdade Católica, que fica na rua Padre Pio, n°300



Sábado (4)

19h– Espetáculo: A Caixa de Música
Na Oficina Cultural

19h– Programação Auto de Natal na Oficina Cultural
Na Oficina Cultural, com Diversão Light, shows com Trem das Gerais e Karine Teles

Domingo (5)

10h– Espetáculo: A Caixa de Música
Na Praça Sérgio Pacheco

18h– Espetáculo: Natal Brasileiro
Na Oficina Cultural

18h– Programação Auto de Natal na Oficina Cultural
Na Oficina Cultural, com Coral da Católica e shows de Orquestra do Cerrado, Maurício Winkler e Beto Machado e convidados

20h30– Espetáculo: Concertos de Natal
Na Igreja São Cristóvão

Segunda-feira (6)

19h– Espetáculo: Natal na Cidade Perdida
Na Praça Clarimundo Carneiro

Terça-feira (7)

19h– Espetáculo: Natal na Cidade Perdida
Na Praça Clarimundo Carneiro

Quarta-feira (8)

19h– Espetáculo: Natal na Cidade Perdida
Na Praça Clarimundo Carneiro

Quinta-feira (9)

19h– Espetáculo: Natal na Cidade Perdida
Na Praça Clarimundo Carneiro

Sexta-feira (10)

16h– Espetáculo: Natal Brasileiro
No Centro Administrativo

19h– Espetáculo: Natal na Cidade Perdida
Na Praça Clarimundo Carneiro

Sábado (11)

11h30– Espetáculo: Auto de Varal
Na Praça Tubal Vilela

20h30– Espetáculo: Auto da Mãe de Rua
Na Praça Tubal Vilela

Domingo (12)

10h30– Espetáculo: Concertos de Natal
Na Capela Nossa Senhora das Dores

12h– Espetáculo: Auto de Varal
Na Praça Sérgio Pacheco

Quarta-feira (15)

18h– Espetáculo: A Caixa de Música
No Centro Cultural Estrela Guia, que fica na Rua do Dólar, 290, São Jorge

20h– Espetáculo: Um Natal para Pedrinho
No Espaço da Sociedade Eunice Weaver, que fica na rua Quintino Bocaiúva, 2.970

Quinta-feira (16)

18h– Espetáculo: Um Natal para Pedrinho
Na Praça Clarimundo Carneiro

18h30– Espetáculo: Auto de Varal
No Mercado Municipal

20h30– Espetáculo: Auto da Mãe de Rua
Na Praça Senador Camilo Chaves, Tibery

Sexta-feira (17)

18h – Espetáculo: Natal Brasileiro
No Terminal Central

18h– Espetáculo: Um Natal para Pedrinho
Na Praça Ana Moraes, Bairro Cazeca

20h – Espetáculo: Auto da Mãe de Rua
Na Praça Nossa Senhora Aparecida

Sábado (18)

12h– Espetáculo: Auto de Varal
Na Missão Criança

18h– Espetáculo: Um Natal para Pedrinho
Na Praça Rui Barbosa

20h – Espetáculo: Auto da Mãe de Rua
No bairro Lagoinha, na rua Quitandinha, esquina com a rua Bento Faria

Domingo (19)

10h– Espetáculo: Um Natal para Pedrinho
Na Praça Sérgio Pacheco

12h– Espetáculo: Auto de Varal
No Parque do Sabiá

15h– Espetáculo: Auto de Varal
No Asilo São Vicente

17h30– Espetáculo: Natal Brasileiro
Na Igreja do Rosário

18h– Espetáculo: Um Natal para Pedrinho
Na Praça Tubal Vilela

19h30– Espetáculo: Anjos D’água
Na fonte luminosa da Praça Tubal Vilela

20h – Espetáculo: Auto da Mãe de Rua
Na Praça Lincoln, Roseveelt

20h30– Espetáculo: Concertos de Natal
Na Igreja Santa Mônica



Segunda-feira (20)

19h30– Espetáculo: Anjos D’água
Na fonte luminosa da Praça Tubal Vilela

20h30 – Espetáculo: Auto da Mãe de Rua
Na Praça Américo Ferreira, Igreja Santa Mônica

Terça-feira (21)

19h30– Espetáculo: Anjos D’água
Na fonte luminosa da Praça Tubal Vilela

Quarta-feira (22)

19h30– Espetáculo: Anjos D’água
Na fonte luminosa da Praça Tubal Vilela

Quinta-feira (23)

19h30– Espetáculo: Anjos D’água
Na fonte luminosa da Praça Tubal Vilela

Domingo (26)

20h30– Espetáculo: Concertos de Natal
Na Igreja Nossa Senhora das Graças

Fonte: Secom/PMU
Imagens: a21armamar.wordpress.com
continuandoassim.blogspot.com
expressoes.com.br

Estudantes do curso de música fazem apresentações em cidades da região


Quatro estudantes do Curso de Música, bacharelado em Piano, da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), se apresentam nesta sexta-feira, 03/12, a partir das 19 horas, na cidade de Delta.

Os estudantes participam do projeto de iniciação artística, intitulado "A Prática da Performance e Didática Pianística", coordenado pela professora Viviane Taliberti. “Este projeto consiste nas apresentações destes alunos, em seis cidades da região, com o intuito de divulgar a produção musical do Departamento de Música da UFU e proporcionar aos estudantes uma experiência real de performance artística”, explica Taliberti.

Segundo a professora, foram selecionadas para as apresentações cidades que já possuem um movimento musical e que possuem Conservatórios Estaduais, assim como, cidades que nunca vivenciaram este tipo de apresentação artística. “Desta maneira, acredito que a experiência será ainda mais rica para os estudantes e comunidades”, ressalta Viviane.

Receberão a apresentação as seguintes cidades: Delta, Ituiutaba, Uberaba, Araguari, Patos de Minas, Uberlândia e Ipameri, no estado de Goiás. A primeira será na cidade de Delta, as demais receberão o projeto, de abril a julho de 2011.

No programa, obras do compositor brasileiro Ernesto Nazareth e do compositor polonês F. Chopin, que em 2010 está sendo lembrado e celebrado pelos seus 200 anos de nascimento.

Programa

F. Chopin (1810 - 1849)
Valsa em Lá b Maior - Guilherme Kassabian

F. Chopin (1810 - 1849)
Estudo op.10 nº:6 - Rafael Camilo.

F. Chopin (1810 - 1849)
Estudo op. 25 nº:12 - Victor Santana.

F. Chopin (1810 - 1849)
Prelúdio op.28 nº15 - Lucas Dutra

C. W. Gluck (1714 - 1787)
Dança dos Espíritos Abençoados – Victor Santana

E. Nazareth (1863 - 1934)
Espalhafatoso - Lucas Dutra.

E. Nazareth (1863 - 1934)
Atrevido - Guilherme Kassabian.

E.Nazareth (1863 - 1934)
Odeon Rafael Camilo.

Fonte: Dirco/UFU/Eliane Moreira

História e Cultura Indígena na Faculdade Católica


A disciplina História e Cultura Indígena e Afrobrasileira convida a todos(as) para a Iª Mostra de Arte e Cultura Indígena e Africana no próximo sábado, dia 04, de 13:30 as 17:00 h. Estarão expostos desenhos e pinturas dos(as) alunos(as), resultantes das oficinas desenvolvidas, bem como, mostra gastronômica com degustação de pratos de origem africana e indígena, fruto de pesquisa empreendida pelos alunos(as).

Fonte: Faculdade Católica de Uberlândia
Imagem: maiscomunidade.com

Revista A3 Quadrinhos - segunda edição


A segunda edição da Revista A3 Quadrinhos está disponível aos leitores. Neste número dois, ainda sob patrocínio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura, através do Fundo Municipal de Cultura, da Secretaria de Cultura de Uberlândia- MG, os amantes do gênero encontrarão mais terror, ficção e aventura.

Para marcar o encerramento da série Kavan, escrita e ilustrada por E. C. Nickel, foram produzidas, não uma, mas duas capas para a revista. Uma é ilustrada pelo artista português António Valjean, mostra o personagem principal Kurt Kavan. A outra, de autoria do gaúcho Mateus Santalouco, retrata um momento crucial da trama – os leitores da primeira edição lembrarão bem!

Valjean, também colabora com uma HQ inédita no Brasil (assim como todas as demais), chamada Catacumba, a qual dá início a série de aventuras do personagem homônimo. O thriller de horror Between the Shadows, escrita por Nando Alves e desenhada por Eduardo Cardenas, continua e ganha o reforço do desenhista Carlos Brandino. Bruno Bispo e Victor Freundt mais uma vez colaboram com a edição narrando novamente uma história fechada, a qual desta vez leva o leitor para O Jantar.

O uberlandense Roberval Coelho, agora em parceria com Tony dá continuidade a história anterior mostrando que a vingança só pode levar à Ruínas. Walter Pax, com texto de Jerri Dias, parodia o filme O Exorcista (1973) abrindo a série Máquina Fantasma. Na sequência há a segunda parte de O.R.L.A: Ação, uma aventura por Matheus Moura com traços de Abel.

Estréiam nessa edição o quadrinhista capixaba Fábio Turbay, com a história de ficção científica Click, e o artista multimídia Edgar Franco, também com uma ficção científica, questiona as raízes de uma civilização com Puras? Para fechar as HQs o quadrinhista uberlandense, Dudu Torres mostra como o ato de criar pode ser tão belo quanto negro dentro d'O Calabouço do Rei.

Além dos quadrinhos, três ilustrações exclusivas enfeitam as páginas da edição, sendo a do editorial feita por Abel, uma no miolo preto branco, desenhada por Rosemário Souza e a da 4ª capa por D. Ramírez.

A revista A3 Quadrinhos # 2 é editada pelo jornalista Matheus Moura e pode ser adquirida nos pontos de venda atendidos pelo coletivo 4º Mundo, lojas especializadas, com os autores e na Bodega do Leo (a maior loja virtual de HQBs do Brasil) ao preço de R$ 3,50. Mais informações pelo email: revistaa3@gmail.com e pelo blog www.revistaa3.wordpress.com

Serviço:
Revista A3 Quadrinhos # 2

Formato: 15,5x22 cm
Miolo: Papel off-set e jornal, cores e preto/branco
Páginas: 112
R$ 3,50 – já incluso o frete

Fonte: Revista A3

Atletas de Uberlândia disputam a última etapa do “Circuito Loterias CAIXA Brasil Paraolímpico”


Nesta sexta-feira (3), 28 atletas paraolímpicos de Uberlândia embarcam para Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, para disputar a 4ª e última etapa do “Circuito Loterias CAIXA Brasil Paraolímpico 2010” nas modalidades de Atletismo, Halterofilismo e Natação.

De acordo com o Coordenador do Programa Uberlândia Paraolímpico, Leandro Garcia, ter essa quantidade de competidores na final do circuito é uma grande conquista, pois demonstra o nível dos atletas da cidade. “Conseguimos participar de todas as etapas da competição e em cada uma delas superamos metas e conquistamos espaço e respeito. Nosso objetivo agora, é colocar o maior número de esportistas entre os três melhores do Brasil em suas provas” afirmou.

Nesta etapa estarão competindo cerca de 500 atletas de 19 estados mais o Distrito Federal. Os 20 melhores do atletismo e da natação receberão um prêmio de R$ 1 mil cada. Os respectivos técnicos e atletas guias vão ganhar R$ 600 cada. No halterofilismo a premiação é para os três melhores na categoria masculina e para as duas melhores na feminina. O clube que tiver maior número de atletas entre os 20 melhores de cada modalidade será premiado com R$ 3 mil.

Modalidades e atletas

Atletismo

Andréia Vieira Santana
Isabel Cristina Ferreira
Joana Helena dos Santos Silva
Maria Luiza Rodrigues de Morais
Marly Lohr de Oliveira
Rosa Maria Brito
Adriano Henrique da Silva
Clayton Euripedes Pacheco
Divino Eterno Dias
Fabio dos Santos Pereira
Thiago Leal Lemes
João Deolindo dos Santos
Lunier Carvalho Sales
Marcio Toni da Silva
Mauro Evaristo de Sousa
Sergio Ivan Taborda
Washington Nunes Souza
Wedielson Antonio de Moura Sousa

Natação

Geisa Neuza de Miranda
Gabriel Alves Tomelin
Luzimar Amorim dos Santos
Ruiter Antônio Gonçalves Silva

Halterofilismo

Cleide Ines Campos
Edilandia Rodrigues Araujo
Bruno Pinheiro Carra
Carlos Antonio Trindade Cassim
Marcelo Marques de Moura
Rodrigo Rosa de Carvalho Marques

Fonte: Secom/PMU/Fernanda Resende
Imagem: Ilustração/maravilha.sc.gov.br

DiaAfro promove show para comemorar o Dia Nacional do Samba


Nesta sexta-feira (3), a Diretoria de Assuntos Afro-Raciais (DiaAfro) e a Secretaria Municipal de Cultura (SMC) realizam um show com Gilmar Batista e grupo Boka Moçamba a partir das 19h30, na Oficina Cultural. No repertório, sambas populares, além de composições próprias.

Segundo Carlos Silva Sousa, diretor da DiaAfro, a atração será promovida para celebrar o Dia Nacional do Samba, comemorado no dia 2 de dezembro. “Essa é uma data muito importante no nosso calendário de eventos e todos os anos buscamos proporcionar algo diferente para o público. Como neste ano a data está próxima do fim de semana, resolvemos organizar o show na sexta-feira para que mais pessoas possam se divertir”, disse.

A apresentação contará também com a participação especial da Companhia de Dança Alex Feliciano e Academia Ritmo de Dança de Salão. A entrada é franca.

Fonte: Secom/PMU/Rosana Terra
Imagem: kelribeiro.com

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Atividades do Projeto Saber para o mês de dezembro começam na próxima segunda-feira (6)


A partir da próxima segunda-feira (6), das 14h às 16h, os BemSocial Centro Educacional de Assistência Integrada (Ceais) dos bairros Guarani, Brasil, Luizote de Freitas e Laranjeiras recebem as atividades do mês de dezembro do Projeto Saber.

Qualquer pessoa a partir de 60 anos pode participar, basta procurar uma das unidades e apresentar documentos pessoais (RG e CPF) e comprovante de residência.

Confira a programação:

Vivendo e Aprendendo, com aulas de Tai-Chi-Chuan

06/12 (segunda-feira), no BemSocial CEAI 1 - Brasil
07/12 (terça-feira), no BemSocial CEAI 2 - Laranjeiras
08/12 (quarta-feira), no BemSocial CEAI 3 - Luizote de Freitas
09/12 (quinta-feira), no BemSocial CEAI 4 – Guarani

Cuidando de Você, com oficinas para a confecção de cartões de Natal

13/12 (terça-feira), no BemSocial CEAI 1 - Brasil
14/12 (quarta-feira), no BemSocial CEAI 2 - Laranjeiras
15/12 (quarta-feira), no BemSocial CEAI 3 - Luizote de Freitas
16/12 (quinta-feira), no BemSocial CEAI 4 – Guarani

Endereços:

- BemSocial CEAI 1 - Avenida Rondon Pacheco, 5.865, Bairro Brasil
- BemSocial CEAI 2 - Rua Senegal, 30, Bairro Laranjeiras
- BemSocial CEAI 3 - Rua Roberto Margonari, 100, Bairro Luizote de Freitas
- BemSocial CEAI 4 - Avenida do Carnaval, 415, Bairro Guarani

Fonte: Secom/PMU

1ª Mostra de Teatro Infanto-juvenil quer despertar o interesse de crianças e adolescentes por arte e cultura


Entre os dias 1° e 5 de dezembro, crianças e adolescentes poderão conferir peças teatrais, participar de oficinas e palestras que fazem parte da programação da 1ª Mostra de Teatro Infanto-juvenil de Uberlândia. O projeto, aprovado pelo Fundo Municipal de Incentivo à Cultura, foi desenvolvido para estimular a formação de plateias e fazer com que os pequenos se interessem mais por arte e cultura.

Segundo Wellington Menegaz e Ana Maria Rodrigues, do grupo Athos de Teatro, coordenadores e organizadores do evento, a ideia da Mostra surgiu para aproximar o público infanto-juvenil das produções artísticas. “Nós dois sempre demos aulas de teatro nas escolas. Então nos unimos para desenvolver um projeto que trouxesse mais montagens específicas para as crianças e adolescentes”, explicou Wellington Menegaz.

De acordo com Ana Maria, além da palestra “Drama: entre o jogo e a persuasão” e das oficinas “Do Conto à Cena – O Jogo com o Espaço e a Palavra” e “Jogos Teatrais com Textos”, cinco espetáculos compõem o evento: “Gaia”, com Luiz Humberto Garcia; “O Mágico de Oz”, com o grupo Ciranda de Cena; “Os Reprisantes”, com os Anjos da Alegria; “Giramundo”, com a Trupe Arte e Vida e “Rapunzel”, com Trupe dos Truões.

“As apresentações serão realizadas no Espaço Cultural do Mercado Municipal e em diversos palcos alternativos da cidade, assim como no distrito de Cruzeiro dos Peixotos. Queremos mostrar que qualquer lugar pode ser utilizado para receber peças. Escolas, praças e centros culturais também podem ser veículos que democratizam ainda mais a arte”, disse.

Programação

Para abrir a programação, nesta quarta-feira (1°), Luiz Humberto Garcia sugere uma reflexão sobre a maneira que o homem tem explorado a Terra e propõe uma nova relação dos seres humanos com o meio ambiente. O espetáculo “Gaia” será apresentado às 13h30 no CAIC Guarani e às 19h30 no Espaço Cultural do Mercado Municipal.

Na quinta-feira (2), é a vez do grupo Ciranda de Cena trazer ao público uma nova versão de “O Mágico de Oz”, clássico conto infantil escrito pelo autor norte-americano Lyman Frank Baum. Durante a peça, as atrizes Bárbara Prata, Bruna Bykoll, Carol Coutinho, Gabriela Santos, Jordana Alves, Kerollen Amorim e Luciene Andrade utilizam narrativas, diálogos, brincadeiras tradicionais, cantigas e danças populares para contar esta história de um modo tipicamente brasileiro. As apresentações serão às 13h30 no Centro Educacional Maria de Nazaré e às 19h30 no Espaço Cultural do Mercado Municipal.

Na sexta-feira (3), Ximbica (Rose Battistella), Pierre (Marcelo Briotto), Tuiki (Emiliano Freitas) e Tydes (Guilherme Almeida), também conhecidos como Anjos da Alegria, fazem uma homenagem aos palhaços com o espetáculo “Reprisantes”. A montagem poderá ser conferida às 13h30 na Escola Municipal de Ensino Infantil do Bairro Aparecida e às 19h30, no Espaço Cultural do Mercado Municipal.

A Trupe Arte e Vida vai apresentar, no sábado (4) e no domingo (5), a peça “Giramundo”. Na obra, os atores Erika Araújo, Mariana Brito, Aline Santana, Daniela Gomes, Romário Gonçalves, Naiton Silva e Eduardo Gasperin atravessam mares e terra para contar histórias, cantar e dançar, com o objetivo de divertir, descobrir novas aventuras e encantar a platéia. As apresentações acontecem às 17h do sábado na praça Clarimundo Carneiro e às 10h do domingo, no Salão da Igreja de Santo Antônio de Pádua, no distrito de Cruzeiro dos Peixotos.

No domingo (5), último dia da 1ª Mostra de Teatro Infanto-juvenil de Uberlândia, a Trupe de Truões levará a empregada doméstica Celestina para contar uma história mirabolante às 10h na Casa da Cultura Graça do Aché e às 17h na Casa da Cultura de Uberlândia. Em “Rapunzel”, o público poderá conferir uma versão inusitada do conto escrito pelos irmãos Grimm, encenado por Ana Carla Machado, Amanda Barbosa e Ronan Vaz.

1ª Mostra de Teatro Infanto-juvenil de Uberlândia

Quarta-feira (1°)


9h às 12h - Oficina “Jogos Teatrais com Textos”, com Rose Gonçalves
No SESC, que fica na rua Benjamin Constant, n°844

13h30 – “Gaia”, com Luiz Humberto Garcia
No CAIC Guarani, que fica na avenida Clássica, n° 333, bairro Guarani

19h30 - “Gaia”, com Luiz Humberto Garcia
No Espaço Cultural do Mercado Municipal, que fica na rua Olegário Maciel, n°255. A entrada é um litro de leite longa vida ou um brinquedo novo.

Quinta-feira (2)

9h às 12h - Oficina “Jogos Teatrais com Textos”, com Rose Gonçalves
No SESC, que fica na rua Benjamin Constant, n°844

13h30 – “O Mágico de Oz”, com Ciranda de Cena
No Centro Educacional Maria de Nazaré

19h30 - “O Mágico de Oz”, com Ciranda de Cena
No Espaço Cultural do Mercado Municipal, que fica na rua Olegário Maciel, n°255. A entrada é um litro de leite longa vida ou um brinquedo novo.

Sexta-feira (3)

9h às 12h - Oficina “Do Conto à Cena – o jogo com o espaço e a palavra”, com Beatriz Cabral (Biange) - UDESC
No SESC, que fica na rua Benjamin Constant, n°844

16h às 17h – Palestra “Drama: entre o jogo e a persuasão”, com Beatriz Cabral (Biange) - UDESC
No SESC, que fica na rua Benjamin Constant, n°844

13h30 – “Os Reprisantes”, com Anjos da Alegria
Na Emei do Bairro Aparecida

19h30 - “Os Reprisantes”, com Anjos da Alegria
No Espaço Cultural do Mercado Municipal, que fica na rua Olegário Maciel, n°255. A entrada é um litro de leite longa vida ou um brinquedo novo.

Sábado (4)

9h às 12h - Oficina “Do Conto à Cena – o jogo com o espaço e a palavra”, com Beatriz Cabral (Biange) - UDESC
No SESC, que fica na rua Benjamin Constant, n°844

17h – “Giramundo”, com Trupe Arte e Vida
Na praça Clarimundo Carneiro

Domingo (5)

10h – “Giramundo”, com Trupe Arte e Vida
No Distrito de Cruzeiro dos Peixotos – Salão da Igreja de Santo Antônio de Pádua

10h – “Rapunzel”, com Trupe de Truões
Na Casa da Cultura Graça do Aché, que fica na avenida Cesário Crosara, n°4.187

17h – “Rapunzel”, com Trupe de Truões
Na Casa da Cultura de Uberlândia, que fica na praça Coronel Carneiro, n°83, Fundinho

Fonte: Secom/PMU

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Corrida Zumbi dos Palmares reúne mais de 100 atletas profissionais e amadores


A corrida Zumbi dos Palmares que aconteceu no domingo (28), no Parque do Sabiá, em comemoração ao Mês da Consciência Negra reuniu 138 atletas profissionais e amadores. Eles enfrentaram um percurso de 5000 metros. Na categoria geral masculina, o atleta Lucas Alves de Souza concluiu a prova em 16 minutos e 14 segundos. Já na feminina, Angelita Maria de Freitas, cruzou a linha de chegada aos 21 minutos e 54 segundos.

De acordo com Lucas Alves de Souza o desempenho foi resultado de muito treino e determinação. “Corro há um ano e meio e esta é a segunda vez que participo da corrida Zumbi dos Palmares. Estou muito satisfeito com o resultado e agora é continuar treinando para que bons resultados se repitam também no próximo ano”.

O evento foi realizado pela Secretaria Municipal de Cultura com o apoio da Fundação Uberlandense do Turismo, Esporte e Lazer (Futel).

Resultados:

Categoria Geral Masculina

1º Lucas Alves de Souza (16'14'')
2º Rubens Julio da Silva (16'58'')
3º Divino Rosa Pimenta (17'30'')

Categoria Geral Feminina

1º Angelita Maria de Freitas (21'54'')
2º Lúcia Helena Suzigan (22'14'')
3º Sandra Rabelo dos Santos (24'23'')

Categoria A (15 a 19 anos)

Masculino
1º Marku Túlio de Oliveira Silva
2º Victor Alves Rodrigues

Feminino
1º Ana Clara Gonçalves
2º Jorcilayne Batista Neves

Categoria B (20 a 29 anos)

Masculino
1º Robson da Silva Medeiros
2º César Augusto Tomaz da Silva
3º Lucas Dib Ferreira

Feminino
1º Andreia Custódio Ceron
2º Sandra Rabelo dos Santos
3º Jessika Sabrina Ferreira

Categoria C (30 a 39 anos)

Masculino
1º José Ednaldo Alves
2º Damião Nogueira dos Santos
3º Kennedy Rodrigues de Moura

Feminino
1º Karen Oliveira Fonseca
2º Elisângela Liberalino de Melo
3º Ângela Mara Silva Vieira

Categoria D (40 a 49 anos)

Masculino
1º Roberto Carlos Silva
2º Agnaldo Ferreira Silva
3º Amarildo Israel

Feminino
1º Neiva Temporins
2º Cleonice Maria de Souza Silva
3º Ana Maria Borges Cunha

Categoria E (50 a 59 anos)

Masculino
1º Antônio Dias
2º José Jovelino Borges
3º Eustáquio Donizete Dias

Feminino
1º Elza Luiz de Souza
2º Rosenalva Ferreira
3º Maria Donirea Lourença

Categoria F (60 anos acima)

Masculino
1º Nelson Salvador da Cunha
2º Sebastião Ferreira da Silva
3º Geraldo Francisco Figueira

Feminino
1º Flocena Maria Bueno

Fonte e imagem: Futel

sábado, 27 de novembro de 2010

Pede pra sair


O que tem sido visto no Rio de Janeiro assusta a muitas pessoas. Vítimas inocentes, mortos, feridos, bens perdidos. Mas um fenômeno também se aflorou, acima inclusive do medo. Nunca o lado do Bem e do Mal ficou tão bem dividido, com os mocinhos caçando os bandidos, como em um filme de Hollywood. Melhor, como um legítimo filme de ação tupiniquim.

O Efeito Bope (Batalhão de operações Especiais do Rio de Janeiro) trouxe os mais contidos sentimentos patrióticos em todo o país, que antes só percebia esse fenômeno em Copa do Mundo. A brasilidade veio à tona em um pensamento uníssono: “vencer o mal e livrar o Rio do tráfico e da criminalidade”. Na esfera da ficção, o herói nacional da atualidade é Capitão Nascimento, personagem do filme Tropa de Elite.

Já a realidade tem se mostrado tão dura quanto o filme, ou até pior. Os heróis da vida real se dividem entre os soldados da Polícia Militar (PM), o Exército Brasileiro, a Polícia Federal, a Marinha, a Polícia Civil (PC) e todas as forças de Segurança Nacional engajadas na pacificação da Cidade Maravilhosa.

Aquele velho dito popular de que não é possível fazer omeletes sem quebrar ovos é duro, doloroso, mas correto. As perdas, por menores que sejam em quantidade, marcarão famílias para sempre. Infelizmente é a única maneira de salvar o Rio do maior mal do mundo, o tráfico de drogas. Força às famílias do Rio, nossos irmãos de pátria e sonhos.

Pode parecer ufanismo, mas se for, tornou-se coletivo. O desejo de ver o Rio de Janeiro novamente seguro, livre das drogas e da criminalidade. Os donos do tráfico até chegaram ao status de heróis e benfeitores de algumas comunidades, mas hoje “quem manda nessa p...” é o Capitão Nascimento. O povo escolheu o lado e isso é percebido pelo número recorde de denúncias nesta semana, pelo acolhimento da população às tropas, por demonstrações públicas de incentivo.

O apoio ao Governo do Rio de Janeiro nas ações de Segurança Pública é fundamental, por todas as esferas de Poder e pelo clamor popular. O Efeito Bope tem feito a sua parte no contexto psicológico, mobilizando a população, inspirando soldados, trazendo inativos de volta à ação por conta própria, e metendo muito medo na bandidagem. É o Capitão Nascimento fazendo história, não só nos cinemas, mas principalmente na vida real. Pede pra sair, traficante.

Imagem: blogdosargentotavares.blogspot.com
integradaemarginal.blogspot.com

Edufu lança livro sobre Goiá premiado pela Funarte


Será lançado no dia 27 de novembro de 2010, pela Edufu (Editora da Universidade Federal de Uberlândia) e pela Fundação Nacional de Artes (Funarte), o livro “Negociações de um Sedutor: trajetória e obra do compositor Goiá no meio artístico sertanejo”, de autoria de Diogo de Souza Brito. Fruto de pesquisa desenvolvida para a conclusão de seu mestrado em História na UFU, a obra sobre o compositor sertanejo Goiá foi agraciada no ano de 2010 com o “Prêmio Funarte de Produção Critica em Música”, do Ministério da Cultura.

O livro Negociações de um sedutor, sem abrir mão de um coerente debate teórico-metodológico, característica central dos textos acadêmicos, tem como diferencial a construção da biografia pessoal e artística do compositor Goiá por meio de uma narrativa criativa e fluída. Com esse propósito os aspectos de sua vida particular e profissional vão sendo apresentados em constante diálogo com as questões teóricas, a produção historiográfica e a pesquisa empírica, alinhavando uma trama que vai cuidadosamente se revelando, sem pressa, ao longo de todo o texto. Entretanto, ao focalizar um compositor não se abre mão de um entendimento da produção musical de forma ampliada, mas busca-se alcançar dimensões mais profundas da história da música popular brasileira.

Dessa perspectiva, o perspicaz uso de uma vasta massa documental permitiu iluminar a temática central da obra: as negociações dos diferentes poderes atuantes no jogo de forças que perpassa a produção musical sertaneja na esfera da indústria cultural.

Cerimônia de lançamento:

Local: Casa da Cultura (Uberlândia)
Data: 27/11/2010
Horário: 20 horas
Endereço: Praça Coronel Carneiro, 89, Bairro Fundinho.

Fonte: Dirco/UFU
Imagem: radiovioladeouro.blogspot.com

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Entrevista sobre Jornalismo Empresarial com o jornalista Sílvio Azevedo


Sílvio Azevedo é jornalista formado pela Unitri – Centro Universitário do Triângulo – no ano de 2007. Trabalha como Web Writer no portal de conteúdo Uipi!, da TV Vitoriosa, afiliada ao SBT. Neste bate-papo, ele fala sobre o Jornalismo Empresarial, o papel do jornalista na área de comunicação das empresas.

Por Ronaldo Pedroso

Alternativa: qual a sua experiência em empresas?

Sílvio: trabalhei por quase três anos no departamento de marketing da Unimed. Fazíamos o trabalho de endomarketing na cooperativa e éramos uma ponte entre a Unimed e a empresa de assessoria contratada. Depois trabalhei nove meses na Futel (PMU), como assessor de imprensa.

Alternativa: quais eram as ferramentas que você utilizava para a comunicação tanto interna quanto externa?

Sílvio: no endomarketing tentávamos humanizar o trabalho da empresa para o funcionário através de cartazes, intranet, folhetos, tudo para deixar o colaborador mais a vontade, de uma forma divertida, mas sem apelar... Na Futel era sempre bate papo com produções e releases via email, além das fotos, claro.

Alternativa: o jornalista tem espaço no mercado empresarial?

Sílvio: claro... Se bem que algumas empresas terceirizam esse trabalho... Mas não deixa de priorizar a área de comunicação, que é quem expõe a empresa e sua marca no mercado. Ou quem apaga o fogo, né...

Alternativa: esse trabalho não é direcionado para publicitários?

Sílvio: não, pois o publicitário tem uma visão e o jornalista outra, semelhantes, mas não iguais... Tanto que nas agencias, quem faz textos publicitários, em grande parte, são jornalistas.

Alternativa: e o mercado está em crescimento?

Sílvio: não posso afirmar que está em crescimento, mas que o mercado local está superaquecido de profissionais, isso é claro...

Alternativa: quero propor uma diferenciação entre público interno e externo.

Sílvio: é simples... O público interno é quem faz a máquina funcionar. Se você tem funcionários motivados, a máquina funciona a todo vapor. Caso contrário, a insatisfação de um contagia o outro.

Alternativa: e o externo? Como sentir se suas ferramentas estão sendo eficazes para esse público?

Sílvio: quando se percebe que a mensagem foi captada e os resultados começam a aparecer: sua marca na mídia, aumento de vendas, visitas, essas coisas. Até quando uma musiquinha mequetrefe começa a ser cantada por todos.

Alternativa: isso tudo é muito parecido com propaganda. Nesse momento, como diferenciar o jornalismo da publicidade?

Sílvio: jornalismo é uma coisa mais notícia, não mercadológica.

Alternativa: mas com efeitos mercadológicos nesse tipo de situação?

Sílvio: assim... Hoje está tudo muito embutido. Quantos releases a gente recebe no Portal (Uipi!) que é pura propaganda, mas com conteúdo, informações.

Alternativa: ok, obrigado, Sílvio.

Sílvio: por nada.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Oficina Cultural recebe exposição coletiva sobre a presença de elementos infantis na vida adulta


A partir de quinta-feira (25), quem passar pela Galeria de Arte Lourdes Saraiva, na Oficina Cultural, poderá conferir “Quando era criança vi e esqueci, só me lembrei agora”, exposição coletiva de Clarissa Borges, Eduardo Belga, Luciana Paiva, Maias Monteiro e Paulo Faria. A mostra estará aberta à visitação até o dia 31 de dezembro, de segunda a sexta-feira, das 12h às 18h e tem entrada é gratuita. A abertura será nesta quarta-feira (24), às 20h.

A exposição reúne desenhos, objetos, fotografias e desenhos que revelam a persistência e pertinência de elementos infantis na vida adulta. Também aborda temas como pureza e sordidez, explorando os contos de fadas e jogos de criança.

O quê: Exposição Coletiva “Quando era criança vi e esqueci, só me lembrei agora”, dos artistas Clarissa Borges, Eduardo Belga, Luciana Paiva, Maias Monteiro e Paulo Faria
Onde: Na Galeria de Arte do Lourdes Saraiva da Oficina Cultural, que fica na praça Clarimundo Carneiro, 204, Fundinho
Abertura: 24 de novembro, às 20h
Visitação: De 25 de novembro a 31 de dezembro, das 12 às 18h

Fonte: Secom/PMU
Imagem: DanielaJosiaseMariadoCarmo.blogspot.com

Quarta etapa da Oficina de Desenho Universal vai discutir acessibilidade na Comunicação


Os interessados em participar da 4ª etapa da Oficina de Desenho Universal, nos dias 2 e 3 de dezembro, no Hotel San Diego, podem ser inscrever gratuitamente até às 17h desta sexta-feira (26), pelo Portal da Prefeitura . São 200 vagas oferecidas e os inscritos poderão participar de palestras, oficinas temáticas e apresentação de propostas no encerramento das atividades.

O tema desta etapa é “Acessibilidade nas Comunicações” e o público-alvo, profissionais das áreas de jornalismo, publicidade e propaganda, web design e marketing. Serão trabalhados conceitos que envolvem abordagem de mídia, terminologias e análise de web sites, dentre outros, além dos conhecimentos referentes à norma técnica da ABNT e do decreto federal.

“É uma oportunidade para se capacitar e aprender como tornar a comunicação acessível ao maior número de pessoas, tendo como foco a promoção da cidadania e a inclusão social”, afirmou Edson Luis Lucas de Queiroz, superintendente da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Urbana.

A coordenadora técnica da Escola de Gente, Cláudia Maia, vai ministrar palestras nos dois dias sobre acessibilidade na internet e análise de mídia. No dia 3 de dezembro, o presidente da ONG Acessibilidade Brasil, Guilherme de Azambuja Lira, vai falar sobre o tema “Acessibilidade digital e virtual: uma questão de cidadania”, que envolve questões de comunicação pela internet.

“Essa oficina é o primeiro passo para avançarmos ainda mais na acessibilidade. E dessa forma abrimos caminhos para mais instituições trabalharem o tema. Hoje são poucas faculdades que oferecem esse tipo de matéria, por isso é interessante que a acessibilidade na comunicação ganhe mais espaço nas disciplinas das universidades e dentro das salas de aula como um todo”, explicou o presidente do Conselho Municipal da Pessoa Portadora de Deficiência (Compod), Gilmar Borges Rabelo.

A Oficina de Desenho Universal é promovida pela Superintendência da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Urbana, que faz parte da Secretaria Municipal de Governo, em parceria com a Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência. “As atividades têm proporcionado aos profissionais de Uberlândia e região a oportunidade de conhecer este conceito norte-americano que consiste em desenvolver projetos e produtos que atendam as necessidades das pessoas independentemente de suas condições físicas ou sensoriais, possibilitando a construção de propostas que vão além da adaptação para acessibilidade”, finalizou Edson Luis Lucas de Queiroz.

Fonte: Secom/PMU/Fillipe Alves
Imagem: PMU/Daniel Nunes

CD “Os Caipiras” surpreende pela qualidade musical


O CD “Os Caipiras”, produzido pela BGK Fonográfica, foi lançado em 2001 e distribuído pela Som Livre. A coletânea traz 14 faixas de música sertaneja no mais puro estilo “raiz”, interpretadas pelas duplas Denis e Fabiano, Divino e Donizete, Rodrigo e Rauny, Robson e Alessandro, Marcos e Marcelo e, ainda, pela cantora Ely Carvalho.

A produção investiu em cantores de pouca expressão nacional, mas com qualidade e boa sonoridade. As músicas são bem fieis às versões originais, sem rebuscar muito, nem tentar inventar arranjos complicados. Isso se deve ao trabalho de manter a identidade musical das canções que fizeram sucesso com cantores consagrados do “sertanejo raiz”.

Algumas canções se destacam na coletânea. Um dos pontos altos é o clássico “Boiadeiro Errante”, de Teddy Vieira, com a interpretação de Rodrigo e Rauny. A música já passou pela voz de Sérgio Reis e outros grandes cantores deste estilo. “Cabocla Tereza” de Raul Torres/João Pacífica é cantada por Robson e Alessandro, com direito à introdução famosa que dá início à história.

Marcos e Marcelo assinam “Saudade da Minha Terra”, composição de Belmonte e Goiá, e uma das mais conhecidas do mundo sertanejo. O tradicional solo de acordeom é outro momento imperdível, assim como “Caboclo na Cidade”, autoria de Dino Franco e Nhô Chico, cantada por Denis e Fabiano. “Caboclo” já esteve na vozes de Chitãozinho e Xororó. A batida da viola, que tornou a música em todos os cantos do país, continua sendo o ponto forte desta versão.

A faixa de número 11 é “Rei do Gado”, imortalizada por Tião Carreiro e Pardinho, nas vozes de Divinho e Donizete. O clássico dos clássicos de Teddy Vieira é disputado por grandes nomes do sertanejo como Sérgio Reis. Virou “cult” e deu origem a inúmeras obras musicais, televisivas e comerciais. Divino e Donizete tratam a música com muita dignidade e não comprometem a sua história de sucesso.

A coletânea não perde em conteúdo para nenhum outro disco. Uma ou outra música poderia ter sido inserida no repertório, mas com tantos clássicos no estilo sertanejo a escolha é difícil. O repertório foi feito pelos compositores Maria Mirom, Donizete Santos e pelo produtor Paulo Gomes, presidente da BGK Fonográfica.

Outro ponto que pode ser discutido é a interpretação das canções. Apesar de nenhum dos intérpretes comprometer a qualidade do disco, não é o mesmo que ouvir cantores já consagrados. Entretanto, é incorreto afirmar que o produto final ficou ruim. Muito pelo contrário: os cantores fizeram “bonito”, e deveriam ter mais espaço no circuito comercial.

Prática comum que visa baratear o preço final, no encarte do disco não há letras das músicas, o que pode ser sentido por alguns. No entanto, as fotos dos cantores que gravaram o projeto não deveriam ficar de fora. Uma homenagem aos grandes cantores do “sertanejo raiz” foi feita no miolo. No entanto, a nova geração que emprestou sua voz para o CD não foi corretamente mostrada.

A aposta de um disco com intérpretes em início de carreira cantando músicas consagradas, arranjos fieis aos originais, encarte simples e boa distribuição não tem como dar errado. O investimento é muito pequeno e o retorno, quase garantido.

Mesmo assim, não existe fórmula para o sucesso. Nenhum destes cantores firmou uma carreira estrelada. O projeto vai em frente, os operários do projeto ficam. É o preço que se paga em um mercado extremamente competitivo, com muita gente de talento e pouco espaço na grande mídia.

Como o disco já tem quase uma década de seu lançamento, não é muito fácil de ser achado. Em diversas lojas virtuais, incluindo a própria Som Livre, a coletânea não foi encontrada. Porém uma grata surpresa: sem menção de nenhum mercham ou jabá, o disco pode ser comprado por apenas R$ 7,99 pelo site Painel Digital.

Para quem gosta de boa música, para os saudosistas, colecionadores, curiosos e para os fãs do “sertanejo raiz”, é aquisição imprescindível para a discoteca. Um bom disco, com boas canções e ótimo preço.

domingo, 21 de novembro de 2010

Lei de Estágios completa dois anos com queda na contratação


Desde que foi criada, em setembro de 2008, a lei 11.788/2008, conhecida como Lei de Estágio divide opiniões. Por um lado, estudantes passaram a ter benefícios que antes não tinham direito. Por outro, empresas tiveram maiores ônus, o que fez com a o número de contratações diminuísse. Segundo a Associação Brasileira de Estágios(Abres), a quantidade de estagiários caiu de 1,1 milhão em 2008 para 900 mil em 2010. São 200 mil vagas que foram suprimidas, sob a alegação de que a Lei de Estágios seria onerosa.

Dentre as mudanças, estão: o direito de gozar de férias remuneradas; carga horária limitada a seis horas diárias, o equivalente a 30 horas semanais para universitários; a permanência na mesma empresa por até dois anos, exceto no caso dos portadores de deficiência.

Ainda de acordo com a Abres, o maior número de vagas para estágio está nas áreas de Administração de Empresas, Comunicação Social e Informática. Segundo uma reportagem da revista Veja, diversas empresas têm deixado de lucrar milhões de reais por falta de profissionais competente na área de Tecnologia da Informação. Já algumas empresas têm preferido investir no estagiário para moldá-lo de acordo com seus padrões profissionais. Mas ainda assim, a quantidade de estágios está aquém do número anterior à criação da Lei de Estágios.

A jornalista Hismênia Keller passou pelo estágio e conseguiu o emprego antes mesmo de terminar a faculdade. “Estagiei por seis meses, daí prorrogaram por mais seis. Depois, tive sorte. Surgiu uma vaga na empresa e fui efetivada um semestre antes de terminar o curso”, conta a ex-estagiária. Isso é o que se espera, mas nem sempre é o que acontece.

Em um mercado cada vez mais competitivo, os estagiários são contratados com exigências de profissionais. Os pré-requisitos estão cada vez maiores, o que leva os alunos a procurar o preparo, que deveria ser oferecido no próprio estágio, em cursos extra-curriculares.

É o caso da estudante de Comunicação Kelly Cristina, que faz curso de inglês há um ano na expectativa de melhorar seu currículo e ter um diferencial no momento de uma possível contratação. “Hoje o inglês é fundamental. Querendo ou não, (depois do português) é língua mais utilizada dentro do nosso país. Quem tem inglês fluente, tem mais chances no mercado de trabalho, principalmente na área de comunicação como é o meu caso”, explica a universitária.

Para a Gerente de Relações do Trabalho da Rede Vitoriosa de Comunicação, Maria José França Félix, o critério da empresa é de rodízio. O estagiário normalmente não tem o estágio renovado após seis meses para que outro também possa ter a chance de estagiar. “Isso não significa que ele é esquecido. Quem passar por aqui e se destacar poderá ser chamado, depois de formado, para uma contratação efetiva, assim que surgir uma vaga”, esclarece Maria José.

A gerente ainda afirma que o estágio é bom para o aluno e para a empresa. “É o momento do estagiário ver na prática o que ele já conhece na teoria. A experiência que ele irá adquirir será fundamental para o seu futuro profissional. Já tivemos estagiários que hoje estão em grandes grupos de comunicação e são reconhecidos nacionalmente”, complemennta.

Imagem: jangadeiroonline.com.br